É comum entre os adultos, o xantelasma é considerado uma lesão cutânea inofensiva, o que leva muita gente a não tratá-lo devidamente.

O mais comum é o aparecimento na região das pálpebras. Nesses casos, são placas que podem comprometer a estética.

Geralmente, elas não apresentam sintomas e, na maioria das vezes, surgem de forma lenta e progressiva ao redor dos olhos, podendo também se apresentar em outras partes do corpo.  

Hoje preparei esse post para explicar a você o que é, porque surge e como é o tratamento. Vamos conferir?

O que é?

É uma pequena deposição de gordura  que se forma abaixo da superfície da pele e, geralmente, se apresenta na cor branca amarelada.

Pode ser individual ou surgir vários deles, um próximo do outro.

Como comentei, normalmente, aparece na pálpebra, sendo mais comum na superior, apresentando tamanhos e formatos diferentes.

A lesão também pode surgir em outras áreas do corpo.

Também chamado de placa de gordura, na maioria das vezes é bilateral, podendo ser plano ou com uma leve saliência. 

Acomete geralmente os adultos e são mais frequentes nas mulheres, principalmente naquelas acima de 40 anos.

Em relação a lesão nas pálpebras, um estudo publicado na National Library of Medicine graduou os pacientes que sofrem dessa condição cutânea de acordo com a localização e a extensão das placas.

Os pacientes são graduados em:

  • Grau I, apenas nas pálpebras superiores,
  • Grau II, apresentam placas que se alastram até a área medial das pálpebras,
  • Grau III, possuem lesões mediais nas pálpebras superiores e inferiores,
  • Grau IV, já apresentam comprometimento difuso medial e lateral de pálpebras superiores e inferiores.

A publicação também deixa claro que quando não tratadas essas lesões vão crescendo progressivamente.

Qual é a causa?

É importante frisar que o xantelasma não se trata de uma doença, mas, na maioria das vezes, indica um distúrbio no metabolismo e nem sempre está associado ao alto nível de colesterol no sangue. 

No entanto, a sua causa também pode estar relacionada a:

  • diabetes
  • cirrose biliar primária, 
  • doenças do metabolismo,

Diagnóstico e tratamento do xantelasma

Por ser muito visível e com tonalidade diferente da pele geralmente comprometem a aparência e a autoestima.

Por isso, ao perceber qualquer anormalidade, o ideal é procurar um médico.

Em relação ao xantelasma, na maioria das vezes, uma análise visual e de todo o conjunto da lesão é suficiente para que ela seja identificada. 

Quando o profissional e o paciente têm alguma dúvida em relação à placa, é solicitada uma biópsia para segurança.

Algumas técnicas de tratamento são:

  • peeling químico,
  • laserterapia,
  • crioterapia,
  • radiofrequência,
  • eletrocoagulação,
  • cirurgia para remoção total da placa.

O tamanho da lesão e a região em que ela está localizada são fatores determinantes para a decisão mais assertiva e segura do tratamento. 

Outro fator muito relevante é que quanto antes ele for identificada e tratado, maior a chance de sucesso na remoção, bem como de diagnosticar e resolver a causa do problema.

Gostaria de dizer ainda que adotar um estilo de vida saudável é uma boa forma de prevenir essas e outras lesões na sua pele.

Se você ainda ficou com alguma dúvida em relação ao xantelasma, entre em contato comigo, terei enorme satisfação em ajudar!