Compreender cada uma das fases do ciclo de crescimento de um fio de cabelo é essencial para ter os devidos cuidados e garantir a saúde capilar.

Com certeza você já observou que seus cabelos não param de crescer e nem de cair. 

Isso está diretamente relacionado com o processo de produção que é constante e que passa por três etapas específicas.

É importante conhecê-las para aprender a identificar o que acontece com eles em cada uma delas. Esse reconhecimento vai ajudar você a cuidar devidamente do couro cabeludo e das madeixas.

Por isso, preparei um artigo especial para falar sobre as fases desse ciclo. 

Saúde capilar e o ciclo de vida do cabelo

Todo fio de cabelo nasce, cresce e morre, esse é o ciclo de vida dele. 

O cabelo nos acompanha praticamente desde o nascimento e tem um importante papel estético para os seres humanos.

Além da estética, eles possuem funções importantíssimas, que são:

  • proteger a cabeça da radiação solar, 
  • reduzir o atrito com a pele,
  • proteger os orifícios. 

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, uma pessoa tem em média 100 mil fios e entre nascer, crescer e cair o ciclo de vida gira em torno de 2 a 7 anos. 

Todo esse processo do ciclo é dividido em três fases que estão em ação praticamente o tempo todo.

Nesse sentido, o cuidado com o couro cabeludo e com os fios são essenciais para manter a saúde capilar. 

As fases são:

 Anágena

Anágena é a fase conhecida como a da produção do fio, por isso, também é chamada de ativa.

O tempo de duração dela é que determina o quanto o cabelo vai crescer e ele varia entre as pessoas porque está diretamente ligado com a genética.

Muitas vezes escutamos pessoas dizendo que os cabelos demoram muito a crescer, desde que eles sejam saudáveis, essa condição é genética e não tem como melhorar esse processo.

Em média, a fase anágena dura entre 2 e 6 anos, e o crescimento se dá na proporção de um centímetro por mês.

Isso quer dizer que quem tem uma fase curta, de dois anos, por exemplo, dificilmente terá um comprimento abaixo dos ombros, lembrando que isso não significa falta de cuidados ou problema de saúde capilar. É uma condição hereditária.

É importante lembrar ainda que esse processo pode ser dificultado por outros problemas, como calvície, ausência de nutrientes ou distúrbios hormonais.

Nesses casos, o médico deve ser consultado para o devido diagnóstico e tratamento adequado, evitando consequências maiores, como a perda definitiva dos fios. 

Catágena

A segunda é a fase catágena, caracterizada pela transição do folículo capilar. Ela é bem curta. 

Aqui, os fios deixam de crescer e começam a se preparar para caírem naturalmente. 

Esse período dura em média entre duas e três semanas, e aproximadamente 3% deles estão nesse processo.

Durante toda essa fase, os cabelos se mantêm fixos na raiz apenas para o crescimento deles. 

Telógena 

A telógena é chamada de fase do repouso dos fios e, na verdade, existe bastante trabalho a ser feito nesse período.

O folículo se prepara para soltá-los de forma natural, por isso, é normal caírem entre 100 a 200 unidades deles por dia. 

Entre 10% e 15% dos folículos capilares encontram-se na fase telógena e ela dura entre 2 e 4 meses.

Em couro cabeludo saudáveis, a raiz continua intacta e começa a se preparar para receber novos fios que, por sua vez, passarão todos os ciclos sucessivamente.

Gostaria de abrir um parêntese para reforçar que a queda excessiva dos seus cabelos é sinal que a sua saúde capilar ou física não está bem e o médico deve ser procurado. 

Na dúvida sobre o crescimento, perda e os melhores cuidados com o cabelo, o ideal é você procurar um médico especializado. Conte comigo.