A queda de cabelo associada ao estresse é uma situação bem mais comum do que se pensa e muitas vezes o indivíduo nem percebe que o seu emocional é a causa.

O mercado altamente competitivo e a correria geral do dia a dia estão deixando as pessoas altamente estressadas e influenciando na saúde física, mental e na aparência.

Você sabia que o seu estilo de vida pode interferir na queda capilar e que ambientes estressantes, como o corporativo ou universitário, entre outros, podem influenciar na perda excessiva dos fios?

Para você compreender melhor essa relação, elaborei este post, confira!

 

Por que acontece a queda de cabelos?

A queda de cabelos pode ter origens diversas.

Uma é a chamada alopecia androgênica, ou calvície, que pode levar a pessoa a perder os fios de forma parcial ou totalmente.

Sua causa é genética e hereditária, sendo mais comum nos homens.

A perda dos fios também pode ocorrer pelos chamados motivos multifatorial, e entre eles estão:
desequilíbrio hormonal,
tabagismo,
má qualidade do sono,
uso excessivo de produtos químicos,
anemia,
estresse.

 

A queda de cabelo associada ao estresse

A queda de cabelo associada ao estresse recebe o nome de eflúvio telógeno.

É importante você compreender que quando estamos sob forte nível de estresse, o nosso cabelo pode cair mais que o normal.

Isso acontece porque ao passar por períodos difíceis, independentemente da razão, os hormônios sofrem alterações, principalmente os relacionados com a nossa sobrevivência.

Basicamente, o organismo interpreta que estamos passando ou vamos passar por um perigo e concentra todos os seus esforços para nos manter vivos.

Dessa forma, o sangue não é distribuído como normalmente é, focando nos nossos pulmões, coração e cérebro, os três órgãos principais para a sobrevivência.

As outras partes que não têm tanta relevância recebem menos sangue e, consequentemente, menos oxigênio e nutrientes. O couro cabeludo está entre essas áreas.

Por um curto período, as estruturas se adaptam e conseguem continuar suas atividades normalmente.

Mas, a longo prazo, essa falta de oxigenação e nutrientes faz com que as células não consigam funcionar do jeito que deveriam.

A queda de cabelo associada ao estresse acontece porque inicialmente ele perde a vitalidade, depois começa a cair mais do que o normal até que os folículos capilares não conseguem completar o seu ciclo e não nascem mais novos fios.

 

Alopecia areata

A alopecia areata é um exemplo de doença que pode ocorrer por causa do estresse e provocar a queda dos fios.

Ela ocorre pela inflamação dos folículos capilares, fazendo com que alguns pacientes percam todos os pelos do corpo.

Além de ter relação com o estresse, também pode estar relacionada com traumas físicos e quadros infecciosos.

 

Como combater o estresse?

A melhor maneira de combater a queda de cabelo associada ao estresse é através do relaxamento.

Pense sobre a sua rotina e analise como você pode mudá-la para se sentir menos estressado.

Isso pode ser feito de muitas formas, dependendo diretamente do cotidiano de cada um.

Uma dica que sempre dou é para apostar em exercícios físicos, que liberam a serotonina, o hormônio relacionado à felicidade.

Os exercícios conseguem proporcionar melhores noites de sono, além de combater os transtornos de humor, como o estresse e a ansiedade.

Também recomendo que todos tenham momentos de lazer durante o seu dia, seja para ler uma revista, ver um filme ou explorar os seus hobbies.

Além disso, é necessário contar com a ajuda profissional para combater a queda de cabelo.

Conte comigo na hora de cuidar da queda de cabelo associada ao estresse! Sou especialista em dermatologia e tricologia e posso auxiliar você a ter fios mais saudáveis. Entre em contato e marque sua consulta!