A pandemia causada pelo novo Coronavírus ainda está sendo estudada e estamos descobrindo novos sintomas como as doenças de pele por COVID-19.

 

Novos estudos estão ligando sintomas cutâneos ao aparecimento da doença nos pacientes, o que anteriormente ainda não havia sido relatado.

 

Um artigo publicado no American Academy of Dermatology por professores da Índia e China apontou que essas manifestações e sintomas pode influenciar no diagnóstico, podendo ser confundidos com dengue.

 

Além disso, novos estudos já estão demonstrando a relação entre a complicação dermatológica com a gravidade da contaminação.

 

Se você ficou interessado e quer saber mais sobre este assunto continue lendo o nosso post!

 

O que os especialistas estão falando sobre doenças de pele por COVID-19?

 

Como essa descoberta ainda é nova os estudos realizados sobre a COVID-19 ainda não apresentam um consenso.

 

Por isso nesse post será listado os principais estudos e hipóteses levantadas.

 

Estudos internacionais

 

Pesquisadores italianos publicaram um artigo no Journal of the European Academy of Dermatology onde afirmam ter encontrado doenças de pele por COVID-19 em 20% de um grupo de 88 pacientes infectados pelo Coronavírus.

 

Desses 18 pacientes, 8 tiveram um desenvolvimento de sintomas cutâneos no início do contágio, enquanto 10 só tiveram após a hospitalização.

 

As doenças por pele por COVID-19 se localizavam principalmente na área do tronco, com pouca ou nenhuma coceira e se curaram em poucos dias. Eram elas:

  • erupção cutânea eritematosa: 14 pacientes,
  • urticária generalizada: 3 pacientes,
  • vesículas do tipo catapora: 1 paciente.

 

Esse estudo afirma que, aparentemente, não há relação da doença com a gravidade da infecção.

 

A Associação Americana de Dermatologia solicitou para que os médicos mandassem suas contribuições sobre doenças de pele por COVID-19.

 

Em uma entrevista para um jornal a entidade afirma que houve a descrição massiva de aparecimento de sintomas cutâneos nos dedos do pé.

 

Continue lendo:  [:pb]Diferença entre os cânceres de pele e como preveni-los[:]

Isso acontece principalmente em crianças e em jovens, e consiste em manchas vermelhas ou arroxeadas. Alguns pacientes afirmam que sentem ardência.

 

As lesões desaparecem em alguns dias após o seu aparecimento. Já foram publicados dois artigos com fotos, um no JAAD e o outro no EJPD.

 

Academia Espanhola de Dermatologia e Doenças Venéreas e a relação com a contaminação

 

Um artigo publicado no British Journal of Dermatology afirma que há relação entre as doenças de pele por COVID-19 e o nível de contágio do paciente.

 

A equipe liderada pela Doutoura Cristina Galván Casas estudou e fotografou 375 pessoas diagnosticadas com COVID-19 e com sintomas cutâneos sem causa aparente no período de duas semanas.

 

Foram detectados cinco padrões de manifestações cutâneas:

 

Erupções similares às geladuras nos pés e mãos

 

Ocorreu em 19% dos pacientes, principalmente nos mais jovens e foi detectado nos estágios finais do contágio por COVID-19 em casos menos graves.

 

Erupções vesiculares

 

Ocorrência de 9%, principalmente em pacientes de meia-idade e associada a casos com gravidade intermediária.

 

Lesões urticariformes

 

Ocorreu em 19% dos casos e acompanhavam uma coceira intensa. Estão relacionadas com pacientes mais graves e tiveram início com os outros sintomas relacionado a doença.

 

Erupções máculo-papulares

 

Foram observados em 47% dos pacientes e estão relacionadas com casos mais graves do contágio por COVID-19.

 

Necrose por obstrução vascular

 

Recorrência de 6% e aparecem principalmente em pacientes idosos e com casos mais graves.

 

Os estudos citados acima são apenas uma pequena amostra do que está sendo realizado no mundo inteiro, mas já demonstram a ligação dos sintomas cutâneos com a doença.

 

Você já sabia da ocorrência de doenças de pele por COVID-19? Que tal compartilhar com seus amigos para que eles também acesso a essas informações?