O Dia Mundial da Alergia é comemorado em julho e serve para uma porção de motivos, de forma a auxiliar pessoas do mundo todo a saberem mais sobre esse conjunto de reações.

As alergias estão presentes em uma grande faixa da população mundial e podem acontecer nos mais variados sistemas, podendo ser desencadeadas por diferentes alérgenos, desde alimentos específicos, como o camarão, até poeira e pólen, por exemplo.

Bastante comuns em determinadas épocas do ano, como o inverno, são responsáveis por lotar emergências e pronto atendimentos ao redor do globo.

Esse conjunto de reações são caracterizadas por uma resposta exacerbada do sistema imune contra uma possível ameaça, de forma a apresentar os sintomas como coceira, espirros, vermelhidão em diferentes pontos do corpo e, em casos graves, o choque anafilático.

Por falar nisso, o choque anafilático é uma reação ainda mais exagerada e trata-se de uma questão de urgência, já que pode fechar as vias aéreas e causar até a morte do paciente, caso não seja tratado a tempo.

Muitas pessoas possuem ao menos um tipo de alergia e em grande parte dos casos não entendem exatamente o que causa esses efeitos e de que forma se livrar deles. 

Pensando nisso, criamos esse post hoje para trazer informações ricas sobre as alergias e os seus tipos e um pouco sobre a história do Dia Mundial da Alergia. Continue a leitura e aprofunde-se em um tema tão importante para a saúde da população.

Origem do Dia Mundial da Alergia

O Dia Mundial da Alergia é celebrado anualmente no dia oito de julho e foi criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) com a

intenção de alertar a população mundial a conhecer mais sobre as alergias e os riscos que podem causar se não forem tratadas.

Os mais variados tipos de alergia podem causar uma série de sintomas, desde os leves, como espirros e coriza, até os mais graves, como o estreitamento da laringe, o que pode causar falta de ar e em casos mais perigosos a falta total de ar e consequentemente a morte.

Sendo assim, esse dia foi criado para que as pessoas pudessem ter mais acesso a informações sobre esse conjunto de reações exageradas do sistema imune e conhecer os sintomas, assim como entender o que pode ser feito para diagnosticar e tratar as alergias.

Inclusive, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), acredita-se que 20% de todo o mundo tenha algum tipo de alergia, sendo ao menos 500 milhões de pessoas com a famosa rinite alérgica, caracterizada por espirros, coriza e coceira no nariz.

Tipos de alergia

Como você pode imaginar, existem diferentes tipos de alergia, que podem ser definidos de acordo com os alérgenos responsáveis pelos efeitos adversos no corpo das pessoas. Confira alguns que são os mais comuns na população em geral.

Alergias respiratórias: elas são as que mais ocorrem  na população, causando alergia no revestimento interno das vias respiratórias. As principais causas são ácaros, poeira, pelos de animais e pólen.

Alergias alimentares: são desencadeadas por determinados alimentos, como camarão, amendoim, soja, ovo e frutos do mar em geral. Podem causar sintomas variados, como erupções cutâneas, inchaço no corpo, diarreia, dores no estômago e olhos lacrimejando.

Alergias de pele: elas podem ser separadas entre alguns tipos de dermatites e urticária, de forma a apresentar erupções na pele, manchas avermelhadas, coceira, escamação e outros. Geralmente, são causadas por cosméticos, picadas de insetos, saliva de animais, dentre outros.

Alergias oculares: elas podem ocorrer por causas bastante variadas, como cosméticos vencidos, poeira, químicos, pólen e até mesmo alguns alimentos. Os sintomas são coceira, lacrimejamento, inchaço, desconforto ocular e vermelhidão.

Como evitá-los?

Quando o assunto é o tratamento e o ato de evitar novas crises de alergia, é importante primeiro procurar um diagnóstico correto.

Se, por exemplo, for constatado que uma pessoa apresenta alergia a determinado alimento, o mais indicado é que ela evite comer qualquer prato que tenha esse item ou pequenas porções, sendo essencial ler os rótulos dos produtos e perguntar em restaurantes, por exemplo.

Sendo assim, ao sentir qualquer sintoma que possa ser identificado como alergia, é importante consultar o especialista

Por falar em saúde, aproveite para ler também sobre o Dia Internacional de Atenção à Pessoa com Lúpus e entenda mais sobre essa doença autoimune.