Os cistos sebáceos são comuns e podem surgir em qualquer parte do corpo, inclusive no couro cabeludo. 

Geralmente são benignos e, muitas vezes, confundidos com espinhas, o que leva muitas pessoas a espremê-los indevidamente.

Na maior parte dos casos não apresentam gravidades, mas podem causar dor e precisam de atenção redobrada principalmente quando surgem em maior quantidade ou aumentam de tamanho.

Quer saber mais sobre eles? Continue a leitura e tire suas dúvidas.

O que são cistos sebáceos?

Cistos sebáceos também recebem o nome de cistos epidérmicos. Eles têm aparência de um caroço e podem ser da cor da pele, esbranquiçados ou amarelados. 

Sua consistência é fibroelástica, ou seja, ao apertá-lo percebe-se que ele afunda e volta ao tamanho inicial.

Isso acontece porque no seu interior existe secreção, que pode ser pus caso esteja inflamado. 

Eles são mais comuns no rosto, pescoço e tronco, regiões consideradas com maior acúmulo de glândulas sebáceas, mas podem surgir também no couro cabeludo. 

Como eles se formam?

As glândulas sebáceas são estruturas associadas aos folículos pilosos, elas são responsáveis pela produção do sebo que protege a nossa pele do ressecamento.

Já os folículos são as estruturas da pele responsáveis pela produção e crescimento dos pelos. 

Cada pelo do organismo humano tem o seu próprio folículo. Quando algo danifica esses dutos, as substâncias podem se aglomerar formando uma espécie de cápsula, que nós chamamos de cisto sebáceo. 

Eles costumam aparecer após a puberdade, são raros em crianças e mais comuns nos homens

Algumas vezes podem ser originadas a partir de traumas no local e, nesses casos, são mais frequentes nas nádegas e palmas da mão.

Quando os cistos sebáceos surgem na cabeça, isso acontece devido ao entupimento dos poros que pode ser causado por resíduos de sujeiras, poeiras ou pele morta que se juntam à oleosidade natural da região capilar. 

No couro cabeludo, eles podem apresentar um desconforto e, até mesmo, dor na hora de lavar e pentear os cabelos.

Além do desconforto que pode eventualmente aparecer, na maioria das vezes eles não apresentam sintomas.

Quando devo me preocupar com o cisto epidérmico?

O correto é sempre que houver qualquer anormalidade na nossa pele, um médico seja consultado para o devido diagnóstico.

Os sinais que é hora de procurar ajuda especializada são:

  • aparições de caroços,
  • dor,
  • qualquer desconforto.

Qual é o tratamento? 

De forma geral não existe um tratamento para eliminá-lo, mas é preciso saber que nunca se deve espremer um cisto sebáceo. 

Essas tentativas podem deixar consequências mais graves, resultando em inflamações ou infecções. 

A solução definitiva para o problema é a remoção por meio de procedimento cirúrgico que, na maioria das vezes, consiste em uma incisão no local.

Mesmo sendo benigno, o médico encaminha parte do material coletado para biópsia.

Agora que você sabe o que são cistos sebáceos, convido você a continuar a leitura para conferir 4 sinais de que seu couro cabeludo precisa de um médico