O câncer de pele é o mais comum no Brasil e pode ser evitado. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer, o INCA, esse tipo de doença corresponde a 30% dos tumores registrados no Brasil.

O não melanoma é o mais frequente e, quando diagnosticado e tratado no seu início, apresenta altas chances de cura.

A radiação solar é o principal fator de risco, mas bronzeamento artificial, histórico familiar e ter pele e cabelos claros também podem estar entre as causas da doença.

Elaborei esse post com o objetivo de ajudar você a identificar a doença e tomar os devidos cuidados para preveni-la. Confira.

Sobre o câncer de pele

O câncer de pele pode surgir em qualquer parte do corpo, inclusive no couro cabeludo.

Ele é mais frequente em adultos com mais de 40 anos e com a pele clara, mas a exposição excessiva ao So, tem aumentado o número de pessoas mais jovens com a doença. 

Esse tipo de câncer não apresenta o risco de metástase. 

O não melanoma é o mais comum aqui no Brasil e o paciente tem grandes chances de cura quando a doença é identificada e tratada no início.

Ele apresenta tumores diferentes que são:

  • basocelular, o mais comum deles,
  • carcinoma epidermoide.

Como identificar o câncer de pele?

É importante frisar que somente um médico poderá orientar o devido exame e realizar o diagnóstico com precisão, por isso, ao sinal de qualquer suspeita deve-se visitar um profissional. 

Como toda doença, o câncer de pele também apresenta sintomas e sinais e, de acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, os principais deles são:

Lesão

A doença pode se manifestar através de uma lesão que pode apresentar-se de forma:

  • elevada e brilhante,
  • translúcida,
  • avermelhada,
  • castanha,
  • rósea,
  • multicolorida.

Geralmente ela tem uma crosta central que sangra facilmente.

Pinta

Um dos sinais da doença é o surgimento da pinta. Geralmente ela é de cor preta ou acastanhada e vai mudando de tonalidade e de textura. Muitas vezes ela se torna irregular nas suas bordas e cresce.

Nesse sentido, se elas atingir o tamanho de até 6 milímetros, igual a largura de um lápis, os riscos de câncer de pele são maiores. 

Manchas ou feridas

Outro sintoma que merece atenção são as manchas assimétricas ou feridas que demoram a cicatrizar. 

Em especial a ferida que não cicatriza tem um risco de câncer de pele maior quando apresenta coceira, erosões, crostas ou sangramentos.

Como prevenir o câncer de pele

Como a radiação solar é considerada a principal responsável pela doença, a prevenção dela se baseia nos seguintes cuidados:

Evitar tomar Sol nos horários compreendidos entre 9h e 15 horas onde a incidência dos raios ultravioletas é maior.

 

Usar diariamente o protetor solar, com fator 30, mesmo em dias nublados.

 

Quando for à praia ou piscina, o protetor deve ser reaplicado a cada duas horas e toda vez que sair da água.

 

Usar chapéus e óculos de sol enquanto estiver exposto ao Sol.

 

Proteger os lábios com produtos específicos.

 

Se precisar estar na rua, sempre que possível, ficar na sombra. 

 

Quando procurar o dermatologista?

Conforme comentei, somente um médico poderá, através de lupa especial, fazer uma análise mais detalhada da anormalidade e orientar os devidos exames para, então, fazer o diagnóstico de forma mais assertiva.

O ideal é que ao identificar qualquer mancha, pinta, sinal, ferida ou outra irregularidade na sua pele você procure imediatamente um dermatologista. 

Em muitos casos não se trata de um câncer, mas você estará cuidando da sua pele e prevenindo para que ele não se desenvolva.

Na hora que você precisar de um dermatologista, conte comigo! Acesse meu site e agende o seu horário.